Venha Conhecer o arquipélago de Abrolhos

O Arquipélago de Abrolhos

O Arquipélago de Abrolhos começou a se formar entre 42 e 52 milhões de anos, quando erupções vulcânicas submarinas derramaram lava no fundo dos mares. Sobre esta base rochosa desenvolveram-se corais, algas calcárias e outros organismos que hoje formam o arquipélago. O fundo é formado por areia de origem biológica, com pedaços de conchas, corais etc. Há 16 mil anos, durante o auge da última grande era glacial, o nível do mar se encontrava 130 metros abaixo do atual. Acredita-se que parte da plataforma de Abrolhos tenha permanecido submersa durante este período, o que permitiu a sobrevivência dos corais. A região seria, assim, um dos “reservatórios” de corais do mundo, de onde teriam-se irradiado para outros locais, quando as águas subiram novamente.

Formado por 5 ilhas, o Arquipélago de Abrolhos é uma área de proteção ambiental e devido a isto, somente em uma de suas ilhas é permitido o desembarque de visitantes. Ficam portanto, na água as melhores atrações do arquipélago de Abrolhos.

Arquipélago de Abrolhos

A Ilha Siriba, possui em seu entorno uma trilha para melhor apreciação dos viajantes.
Ilha Siriba

As profundezas de Siriba

A Siriba possui em seu lado ao sudoeste uma formação natural, coberta por conchas e corais, enquanto sua outra extremidade, parte norte da ilha, é composta por bela praia e piscinas naturais. A parte de fora da ilha, é famosa por suas cavernas, adoradas pelos mergulhadores, a formação é composta por 3 cavernas que variam de 03 a 14 metros de profundidade, sendo que quanto mais profundo mais cobertura cora lícia e menos vida marinha.


Ilha Guarita

A menor ilha do arquipélago de Abrolhos é a Guarita, formada por blocos de rochas vulcânicas. É abrigo de reprodução de aves. Não é aberta a visitação.

 

Arquipélago de Abrolhos

Ilha SuesteA Ilha Sueste é a segunda maior ilha do Parque nacional de Abrolhos, com aproximadamente 500 metros de extensão. Assim como a ilha guariba, durante a maior parte do ano é abrigo de pássaros.


Ilha de Santa BarbaraA única ilha habitada do arquipélago de abrolhos é a Santa Barbara, o qual funciona uma base militar. o acesso a ilha é proibido, exceto quando autorizado pelo distrito Naval responsável. è a maior ilha do arquipélago, com aproximadamente 1,5 km de extensão.

 


Ilha RedondaA Ilha redonda que já teve o desembarque permitido, possui uma formação rochosa e arredondada, possui difícil acesso devido a formação de corais. Hoje é uma ilha com acesso proibido devido ao fato de ser área de desova de tartarugas.

 


Como dito anteriormente, acreditamos que o melhor do Parque Nacional de Abrolhos, está no mar. Confira os principais pontos para mergulho da região:

O mar de Abrolhos

baleias jubarteA observação de baleias jubarte é a grande diversão dos passeios de barco.                  A jubarte (Megaptera novaeangliae), também chamada de corcunda ou cantora, é uma das doze espécies de grandes baleias existentes no mundo. É conhecida por seu temperamento dócil e pelas acrobacias que realiza, saltando e exibindo a cauda, que é sua impressão digital. Mas, sobretudo, são famosas pelo desenvolvido sistema de vocalização: o seu canto melancólico, de construção musical sofisticada, é repetido pelo macho. Acredita-se que uma das funções prováveis desse canto seja atrair a fêmea para acasalamento. Leia mais


rosalindaNaufrágio Rosalinda acontecido em 1955, navio italiano que encalhou e afundou após bater em um recife de corais, transportava cimento e cerveja para a cidade salvador. Sua tripulação foi resgatada e levada para Ilha de Santa Bárbara. Sua popa está a aproximadamente 20 metros de profundidade mas sua proa aparece na superfície quando a maré está baixa.


enseda de santa barbaraUm dos principais pontos de mergulho do Parque, a enseada da Ilha Santa Bárbara, permite a observação de badejos e budiões que, acostumados com a presença humana aproximam-se dos mergulhadores.

Arquipélago de Abrolhos

pradarias de siribaLocalizada entre as ilhas Siriba e Redonda, as pradarias de Siriba, formam uma área rasa, de fundo arenoso, onde são encontrados cabeças de coral em profusão. Por aqui também passeiam cardumes de peixes-cirurgiões e os enormes e folgados badejos-quadrados. Olhando com atenção, dá para ver as raias manteiga e treme-treme enterradas na areia.


refifes de timbebasOs Recife de Timbebas, Incluído na área do Parque, mas distante do arquipélago de abrolhos, fica visível em maré baixa e é um ótimo ponto para mergulho livre. Peixes de todas as cores e formatos podem ser vistos no local, onde grandes leques de coral-de-fogo são encontrados.


Arquipélago de Abrolhos

Os recifes de coral estão entre os mais ricos ecossistemas existentes no mundo. A região de Abrolhos possui formação de corais do Atlântico Sul e entre suas principais atrações estão os chapeirões. São colunas de coral de até 20 metros de altura que se erguem abruptamente do fundo e se abrem em arcos perto da superfície. Podendo chegar a 50 metros de diâmetro, como imensos cogumelos submarinos. As águas, sempre mornas e de coloração azul-turquesa, onde habita uma infinidade de seres marinhos. A principal espécie formadora dos chapeirões é o coral-cérebro, que só ocorre na Bahia. Mas, além desta, outras 15 espécies de corais formadores de recifes ocorrem em Abrolhos. Nos recifes mais próximos da costa, os chapeirões ficam tão perto uns dos outros que acabam unindo-se.


Arquipélago de Abrolhos

Ilhas são ecossistemas terrestres isolados do continente e cercados de água por todos os lados. Este fato as torna especiais, justamente devido ao seu isolamento. A biodiversidade varia conforme a área, a idade, a distância entre o continente e/ou ilhas vizinhas. Cada ilha possui uma comunidade própria e única, adaptada e eficiente em seu ambiente. 

Assim, são ambientes propícios à especiação e contam com grau acentuado de endemismos. Em geral, os grupos de animais terrestres mais comuns em ilhas são os insetos, crustáceos, aranhas, aves e répteis. Praticamente não há mamíferos terrestres e anfíbios em ilhas oceânicas. Apesar de Abrolhos ser formado por ilhas costeiras localizadas sobre a plataforma continental. Estas se comportam como ilhas oceânicas, pela distância em que estão da costa.


Arquipélago de Abrolhos
A vegetação das ilhas restringe-se a umas poucas espécies de plantas baixas, na maioria gramíneas e ciperáceas. Existem também alguns coqueiros plantados. O solo pouco profundo e ausência de água doce são dois fatores limitantes para a ocorrência de vegetação de maior porte. A fauna terrestre também não é abundante, mas lagartos vivem muito bem por aqui. Juntamente com os primeiros cargueiros que aportaram no arquipélago, vieram os ratos e as aranhas-caranguejeiras, que acabaram se adaptando ao local. O arquipélago abriga ainda grande variedade de aves marinhas atraídas pela farta alimentação. O piloto (ou atobá) é a ave mais abundante e faz seus ninhos sobre o solo. Outras espécies são Benedito, o atobá-marrom, a elegante grazina com sua cauda comprida, a fragata e o trinta-réis-das-rocas. A tartaruga-cabeçuda procura suas praias para desovar. Debaixo da água, a vegetação é rica. As algas marinhas crescem sobre o fundo de areia, compondo, juntamente com as gorgôneas, o que se pode chamar de “pradarias submarinas”. Algas calcárias formam grande parte dos recifes em franja ao redor da Ilha de Santa Bárbara. As formações coralinas hospedam inúmeras espécies: peixes pequenos, grandes, listrados, achatados e coloridos.